Páginas

sexta-feira, novembro 11, 2016

A dura realidade....

A Verdade é uma só: os ricos não sabem como é a vida do pobre mortal... daquele que sai todo dia as 5 da madruga, quando não antes, pega o busão e segue, por hora e meia, num trânsito, que na madrugada já é intenso, chegar ao trabalho seu do dia a dia.

A Verdade mesmo, é que ninguém sabe a realidade do outro. Passamos sem perceber as agruras que atormentam cada um de nós, no enfadonho dia a dia.

Sai as 5 da madrugada, peguei o ônibus as 5:30, cheguei ao trabalho as 7... foram 3 ônibus, alguns com lugares para sentar, mas não tão confortáveis como aquele sofá no saguão do Novotel em Praia de Iracema, lá em Fortaleza.. nem num dos sofás dos IBIS da vida... mas apenas um banco duro e apertado que mal cabe uma pessoa normal.. se vem um outro, mais, digamos, avantajado corporalmente, vai ser um sufoco.. espremido como sardinha na lata.. e sem espaço para o molho!!! lá vamos nós!!

Ao chegar ao lugar do ganha pão, eis que se nos depara uma outra realidade: pessoas que não tem onde morar, que moram nas ruas, que carregam consigo suas coisas, seus medos, seus traumas, sua casa, seus cacarecos..

Também não sabemos o que vivem, como vivem.. ou sobrevivem.. não sei se jantou, almoçou, ou se vai tomar café, como eu fiz ao descer do ônibus bem perto da padaria do bairro..

A vida é dura! É ingrata! Eu, posso dizer, sou um felizardo! Conheço dos mundos, quase todos.. até mesmo esse de "quase dormir na rua"... mas a sorte, que para o Poeta é uma Megera, prá mim foi bondosa.. quase sempre me sorriu! 

Ainda, mesmo que com grandes dificuldades, posso me dar ao luxo de ter uma cama confortável, uma casa, um gato e um cachorro.. ah! e até algumas galinhas .. moro numa roça.. e a vida é quase sempre boa..

Mas, nem sempre!